Notícias de Caçador e Região

Compra de CNH ou notas falsas ofertadas no Facebook pode financiar crimes mais graves, afirma delegado

É muito comum ver em grupos do Facebook a oferta de venda de documentos falsos, exemplo Carteira de Habilitação, assim como também cartões de crédito para negativados e ainda, empréstimos de dinheiro bem mais facilitado que o habitual. De acordo com o delegado Marcelo Colaço, orienta as pessoas a desconsiderarem esses anúncios, ou denunciar para a Polícia Civil.

Para o delegado, quem participa destes esquemas fraudulentos automaticamente ajuda a financiar quadrilhas e organizações criminosas, e não está livre de também ser vítima, tendo em vista que o criminoso possui dados e até documentos pessoais.

“Temos evidenciado muitos fatos desta natureza, que são compras efetuadas pelo Facebook, oferta de empréstimos, bem como materiais que são ilícitos, como Carteira de Habilitação falsa e ainda compra de notas falsificadas. As pessoas ainda tem a mentalidade de que usando a internet, não haverá punição, mas é bem pelo contrário, existe identificação e punição normal”, explica o delegado.

De acordo com Marcelo, o que se vê muito na internet, principalmente no Facebook é a compra de documentos falsos, como CNH e também notas falsificadas. A pessoa que faz essa falsificação pode responder pelo crime de falsificação de documentos e da mesma forma a pessoa que porta os documentos e notas.

“O crime de notas falsas, em especial é de atribuição da Polícia Federal e tem duas figura típicas que ocorrem frequentemente. Uma é a pessoa que faz e repassa no mercado essas notas, com dolo, ou seja, ciente do que está fazendo. Para esse crime, tem a pena máxima de 12 anos. Já a segunda é quem recebe esta nota, inicialmente sem saber que se trata de nota falsa, mas que depois de descobrir mesmo assim repassa essa nota no comércio também responde criminalmente”, enfatizou.

O delegado comenta que a polícia está atenta a esses tipos de crimes, pois tem uma equipe de investigação para cuidar desses casos. “A internet trouxe a quem comete esses crimes uma facilitação e com a evolução a polícia também teve que se aprimorar. Há alguns anos essas pessoas cometiam esses crimes e a própria internet os acobertava e dificultava a identificação, trazendo assim, uma segurança aos criminosos. Isso já mudou e facilmente a polícia consegue identificar os fraudadores e até a pessoa que adquire esses documentos e notas fraudados”, esclarece.

Conforme o delegado, ao comprar uma CNH falsificada, a pessoa está repassando todos os dados e documentos pessoais. Com isso, o criminoso que está do outro lado oferecendo um serviço facilitado está tendo acesso a toda vida desta pessoa que no futuro pode ser vítima.

O delegado pede a todos os usurários das redes sociais que ao ver publicações oferecendo CNH e dinheiro falso, até mesmo empréstimos mais facilitados que o habitual que comuniquem a polícia e também denunciem diretamente ao próprio Facebook para fazer a remoção da publicação e até mesmo o bloqueio do usuário.

Veja Também

Comentários estão fechados.